Deputado Zé Neto reage sobre greve dos rodoviários

Cidade Notícias

Compartilhe este post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

O deputado federal Zé Neto (PT), lamentou os efeitos negativos da suspensão dos serviços em Feira de Santana e criticou o sistema de transporte coletivo municipal que, de acordo com ele, está colapsando há algum tempo. Com a deflagração da greve dos Rodoviários, na manhã desta segunda-feira (23), a população feirense está sendo atendida por vans e micro-ônibus do Sistema de Transporte Público Alternativo e Complementar (STPAC).

O movimento em prol do reajuste salarial de 10%, que foi parcialmente iniciado no domingo (22), alterou a rotina dos usuários e vem causando transtornos. Ao Bom Dia Feira, o deputado federal Zé Neto (PT), lamentou os efeitos negativos da suspensão dos serviços em Feira de Santana e criticou o sistema de transporte coletivo municipal que, de acordo com ele, está colapsando há algum tempo.

‘Ontem estive no terminal de transbordo e fiquei impactado com o que vi, não é a primeira vez, é a terceira vez que temos uma crise deste nível, e não foi causada pelos trabalhadores, o sistema de transporte coletivo de Feira está colapsado há algum tempo, a população está sofrendo, não há fiscalização, o sistema já não existe, é uma aglomerado de problemas, a gente tinha a possibilidade de dar uma melhorada nisso com corredores de tráfego, com modernização, com BRT, chegamos ao fundo do poço e isso afeta a todos da cidade, ninguém pense que estando no seu carro, essa situação não tenha influência no dia a dia do comércio, dos negócios da cidade, da vida social da cidade’, pontua.

O deputado destaca ainda que a cidade apresentou uma imensa queda na qualidade no sistema ofertado, quando comparado há anos anteriores, e defende a necessidade de uma rápida alteração do processo de funcionamento e aplicação do serviço local.

‘O sistema de hoje não funciona, é preciso nova licitação, novos sistemas, ouvir quem conhece a realidade do processo. Há 20 anos, 40% da população pegava coletivo, vinha evoluindo, a gente tinha um sistema de vans, criado por José Falcão, que era muito estruturado, funcionava competindo com o sistema de ônibus e não tinha nem espaço de clandestino, estruturou-se, tinha o transporte alternativo, tinha uma rede sendo ampliada gradativamente e hoje vivemos esse caos. Eu vou convidar representantes de entidades para conversar e buscar formas, judicialmente inclusive, de encontrar outras ações de responsabilizar os que tem responsabilidade sobre esse tema e gerar uma virada de mesa nesse processo’, afirma.

Com informações de Fernando Moreira do site Bom dia Feira.