URGENTE! Após greve dos rodoviários, mais 15 ônibus são vistos abandonando Feira de Santana

Cidade Notícias

Compartilhe este post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

O site Cidade Notícias traz agora, com exclusividade, um vídeo que comprova a empresa Rosa retirando seus ônibus de circulação. Neste domingo, mais 15 ônibus da empresa Rosa foram vistos deixando a cidade com destino à sede da empresa, localizada em São Paulo-SP. A Polícia Rodoviária Federal realizou uma abordagem e constatou diversas irregularidades em 6 ônibus, vidros quebrados, pneus sem condições de rodar, entre outras. Seis veículos ficaram impossibilitados de seguir viagem devido aos problemas apresentados, e ficaram no meio do caminho, na cidade de Itatim-BA. Os demais veículos conseguiram ir embora, informou um funcionário da empresa que não quis ser identificado.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Empresa Rosa esclarece que a retirada dos ônibus de circulação que prestavam atendimento à comunidade feirense, neste domingo, 22, e recolhidos posteriormente à garagem, foi de iniciativa do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sintrafs).

Todavia é importante destacar que a frota operacional ativa e também a reserva estão mantidas no município: são 64 ônibus e micro-ônibus, e mais 8 veículos reservas que suprem, satisfatoriamente, a atual demanda de passageiros mediante ordens de serviço da Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito. Vale ressaltar que esta quantidade de ônibus reservas é superior a 10%, conforme determina edital do poder público.

Mais uma vez, em respeito à comunidade feirense, salientamos que a deflagração da greve se dá em razão da falta de consenso mediante a Pauta de Reivindicações da Categoria dos Rodoviários no tocante ao aumento de salário.

As receitas do sistema de transporte da cidade despencaram mais de 70% e, por isso, não há condições de realizar reajuste salarial neste período de crise sanitária enfrentada no mundo.

Outro fator agravante é a tarifa de remuneração da Empresa Rosa estar defasada, há vários anos, pela ausência de revisão da Prefeitura de Feira, medida a qual torna-se urgente e necessária.

O serviço essencial de transporte público é de competência do Município e o poder público manteve-se inerte nesta pandemia, vide que não conseguiu ajustar o equilíbrio econômico financeiro do contrato de concessão, inviabilizando as nossas receitas para custear o serviço que vem sendo ofertado à população da cidade.

O contrato de concessão continua totalmente desequilibrado economicamente, notícia pública e notória de anos, e não temos receitas para aumentar custo de pessoal.

Enquanto o Município de Feira de Santana não restabelecer o equilíbrio econômico financeiro do contrato, não teremos condições de acatar o pleito da categoria.

Notadamente, cabe ao poder público municipal apurar os custos do serviço e revisar nossas receitas para que possamos, de forma justa, pagar nossos fornecedores e colaboradores.

Feira de Santana, 22 de agosto de 2021.