Câmara de Ilhéus cassa mandato de vereador acusado de “rachadinha”

Cidade Notícias

Compartilhe este post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

Por 18 votos a favor, um voto contra, uma abstenção e uma ausência (a do próprio julgado no momento da votação em plenário) o vereador Luca Lima (PSDB) teve o seu mandato cassado pela Câmara de Ilhéus, na noite desta quarta-feira (25). Lima é o primeiro vereador da história do município a perder o mandato.

A maioria dos vereadores decidiu acompanhar o relatório da Comissão Processante que investigou a quebra de decoro parlamentar. O vereador é acusado da prática de “rachadinha”, assédio moral e sexual, desvio de função dos seus servidores no legislativo para atuação em sua clínica particular que atende a dependentes químicos em Ilhéus.

Servidores do gabinete do vereador denunciaram que eram obrigados a devolver parte dos salários ao parlamentar. No dia 30 de junho a Polícia Civil deflagrou uma operação para investigar o vereador e cumpriu mandados de busca em imóveis do político. 

Luca Lima necessitaria de, no mínimo, sete votos para evitar a cassação. Foram cerca de cinco horas de sessão. A segurança da Câmara foi reforçada. Além do movimento no plenário Gilberto Fialho, do lado de fora do Palácio Teodolindo Ferreira, sede do Parlamento, populares exigiam punição rigorosa do vereador denunciado. Depois da leitura do relatório, os vereadores puderam se pronunciar. Depois foi a vez dos advogados de defesa de Luca Lima, que tentaram as últimas cartadas de convencimento antes da votação. 

Ao iniciar a votação nominal dos vereadores, o próprio Luca Lima, prevendo a derrota, se retirou do plenário e não acompanhou a decisão dos seus colegas de Câmara. 

Metro 1*