Rosemberg cobra ‘fidelidade’ de Geilson após ‘ombro amigo’ do governo em 2018

Cidade Notícias

Compartilhe este post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

O deputado estadual Carlos Geilson (PSDB) foi cobrado pelo líder do Governo na Assembleia Legislativa da Bahia, Rosemberg Pinto (PT), a “não cuspir no prato em que comeu” por conta das críticas que realiza à gestão do governador Rui Costa e às demais administrações petistas. O tucano, que também saiu em defesa do correligionário Paulo Câmara, foi à tribuna da Casa na sessão realizada na tarde desta terça-feira (24) para criticar a concessão da ViaBahia, administradora na Bahia de trecho da BR-324 entre os municípios de Feira de Santana e Salvador.

Geilson comentou ainda a sugestão de abertura de processo no Conselho de Ética contra Câmara pelo suposta prática de espalhar “fake news” ao afirmar que o governador Rui Costa tem responsabilidade pelo aumento do preço dos combustíveis no estado. “Se praticar ‘fake news’ leva ao Conselho de Ética ou a uma CPI aqui na Casa, com certeza esse governo já teria sido alvo de eivadas comissões parlamentares de inquérito, pois é quem entende bem de ‘fake news’”, disse Carlos Geilson.

“Foi no governo do PT que você teve um ombro quando não se elegeu deputado nessa última eleição. Estou falando isso, mas não estou cobrando não. Nós temos essa generosidade e me sinto às vezes indignado quando ouço essas colocações”, disse o deputado estadual Rosemberg Pinto. Geilson pediu um aparte para rebater: “Vossa excelência, pelo lastro, pela eloquência, tem repetido esse discurso cansativo. Todo homem na vida tem o direito de dar um passo errado; e eu dei e reconheço que dei”, rebateu o tucano.

Classificando o discurso de Rosemberg como ultrapassado e repetitivo, Geilson pediu ao petista que avançasse no tempo. “Vossa excelência é um homem que pensa para a frente, de vanguarda, mas fica olhando pelo retrovisor. Isso [ter participado do governo petista] não me impede, não me tira a condição de deputado de apresentar, enxergar e apontar as mazelas do PT”, discursou o tucano, durante o aparte a Rosemberg.

O petista disse, no entanto, que “eu sou um homem nascido no interior e aprendi muito com meu pai e minha mãe que diziam: ‘meu filho, nunca cuspa no prato que comeu’”. O deputado Carlos Geilson foi ouvidor-geral do Estado durante o mandato de Rui Costa, período em que ficou filiado ao Podemos.

Com informações do site Política Livre.